Painel 4

90 anos de publicidade e o futuro do rádio como negócio

06 de maio, 14h00

Em março de 1932, o presidente Getúlio Vargas assinou o decreto que tornou legal a inserção publicitária no rádio. Hoje, 90 anos depois, nos deparamos com desafios concretos para o modelo de negócios do rádio.


Com a crescente plataformização do conteúdo e do consumo de mídias sonoras, que vem se refletindo em maior concorrência pelo tempo das pessoas, será que o modelo baseado em inserção publicitária, que tem seu valor calculado em função das características da audiência, ainda reinará soberano?


O período de isolamento social que ocorreu durante a pandemia de Covid-19, apesar de curto, parece ter acelerado processos e transformações em curso, como a consolidação dos podcasts. Comportará o espaço digital tanto antigos quanto novos emissores? As pequenas estações, que não fazem parte de grandes redes, conseguirão encontrar um modelo sustentável, mais tecnologicamente moderno?


Convidamos, para este painel, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV para que, junto com pesquisadores e profissionais, possamos repensar os caminhos futuros do rádio e das mídias sonoras.

Prof. Ms. Elmo Francfort Ankerkrone

beth_saad.png

Elmo é Mestre do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi. Escritor, radialista, professor de comunicação, pesquisador e crítico de TV desde o final da década de 90. Se dedica a mostras e trabalhos pela memória da comunicação, com destaque para o projeto Memória Abert, coordenado por ele. Também é autor de diversos livros, entre eles “Almanaque da TV Cultura” e os textos da exposição “TV Cultura: Senta Que Lá Vem História?”.

Abert - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV

Prof. Dr. Ciro José Peixoto Pedroza

beth_saad.png

Ciro é Doutor em Linguística Aplicada no Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da UFRN com pesquisa sobre Radiodifusão Universitária. Jornalista, radialista e publicitário, atuou em rádio, TV, jornal, agências de publicidade, assessoria de comunicação e campanhas eleitorais. Atualmente mantém no ar o portal de notícias Ciropédia (www.ciropedia.com.br), além de comandar o “Na hora do café”, programa de rádio retransmitido em diversas emissoras do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Ciropédia

Prof. Dr. Alvaro Bufarah Jr.

beth_saad.png

Bufarah é vice-coordenador do GP Rádio e Mídia Sonora. Já atuou em diversas redações de emissoras de rádio e agências de notícias. Possui doutorado no Programa de Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie, instituição na qual leciona nos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Também é professor na Fundação Armando Álvares Penteado, nos cursos de Rádio e TV e Jornalismo, além de coordenador do curso de extensão Produção Executiva e Gestão de TV. É pós-doutor junto ao programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina e integrante do Grupo de Investigação em Rádio, Fonografia e Áudio (Girafa).

Universidade Mackenzie e Fundação Armando Álvares Penteado

Mediação

nara.png

Profa. Dra. Graziela V. G. de Mello Vianna

Universidade Federal de Minas Gerais

Graziela Vianna é Professora Associada nível I do departamento de Comunicação da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG e investigadora visitante do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Doutora em Comunicação pela ECA-USP com estágio no Centre de Sociologie de L'Innovation em Paris (2007-2008), mestre e graduada em Comunicação Social pela UFMG (2002). Desenvolve pesquisas relacionadas ao som, ao rádio, a paisagens urbanas e à canção. É pesquisadora do programa de cooperação internacional - PIMI (Patrimoine Image Medias Identité), integra a equipe do projeto internacional de pesquisa intitulado Places Publiques, juntamente com pesquisadores do Brasil, da França e de Israel e a equipe internacional do projeto AMOPC da Escola de Comunicação Social do IPL-Lisboa, acerca da memória das profissões da comunicação em Portugal e no Brasil. Coordena o projeto Retrato Sonoro em parceria com a Rádio Inconfidência (MG) e a PUC - MG e o projeto extensionista Centro de Memória do Rádio, com o apoio do IEPHA-MG.